Nutrição do bebê: saiba como adicionar novos alimentos

Nutrição do bebê

Depois que completa 6 meses, o bebê precisa começar a receber novos alimentos. Essa é fase da introdução alimentar, que deve ser gradativa, para não fazer mal à criança.

Neste artigo, vamos falar com você sobre nutrição do bebê e como devem ser inseridos os novos alimentos.

Você vai ver, aqui, qual é a dieta ideal para cada fase até a criança completar o seu primeiro aninho (12 meses) e, inclusive, saber o que o bebê não pode comer.

A alimentação do bebê até os 6 meses

A orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que o bebê seja alimentado, até os 6 meses, exclusivamente com leite materno. Ele não precisa beber água, chás e sucos, ou ser alimentado com papinhas.

Até essa idade, o leite materno é suficiente, pois contém todas as substâncias essenciais para a nutrição do bebê.

A seguir, entenda por que demais alimentos não devem ser oferecidos ao pequeno nessa fase:

  • o sistema digestivo da criança ainda não está maduro;
  • as funções renais do bebê não conseguem sintetizar da forma ideal outros alimentos;
  • o pequeno não consegue mastigar ou engolir alimentos espessos;
  • a criança tem maior possibilidade de desenvolver alergias.

Depois dos 6 meses, o leite materno começa a não suprir as necessidades nutricionais que o bebê precisa para se desenvolver.

Esse é o momento de começar a alimentação suplementar, um processo que, como já vimos, deve ser gradativo.

As etapas da alimentação do bebê

Quando o bebê completar 6 meses, ele deve ser alimentado com papinhas doces e salgadas.

Aos poucos, novos alimentos são introduzidos no cardápio, e a consistência da papinha vai ficando mais espessa até chegar a hora dos alimentos sólidos.

Sabendo disso, veja, a seguir, como alimentar o bebê em cada fase:

A partir dos 6 meses

Ofereça papinhas de frutas como banana, mamão e abacate. O bebê vai comer pouco, e isso deve ser respeitado. Evite acrescentar açúcar e dê pequenas porções para ele se adaptar ao sabor novo.

A partir dos 7 meses

Nessa idade, o bebê poderá fazer refeições de papinhas doces três vezes ao dia. A comida deve ser oferecida no meio da manhã, no meio da tarde e no fim da tarde.

A partir dos 8 meses

A papinha doce do meio da tarde pode ser substituída por uma salgada. Ela deve ser preparada na consistência de purê, amassadinha. Evite o sal e use pouca gordura. Não acrescente condimentos.

As papinhas salgadas devem conter:

  • proteínas: peixe, frango, carne vermelha magra
  • leguminosas: ervilha, grão-de-bico, lentilha
  • legumes: chuchu, cenoura, abóbora, beterraba
  • hortaliças: couve, chicória, brócolis
  • cereais e tubérculos: macarrão, arroz, milho, batata, mandioca
  • frutas: mamão, banana, maçã, abacate

Cereais e tubérculos devem compor a maior porção da papinha. O leite materno ainda pode ser oferecido à vontade. O bebê também poderá comer uma papinha salgada no jantar.

De 9 a 12 meses

Quando o bebê chega a essa idade, ele já pode experimentar novos alimentos a cada semana.

A consistência da papinha deve ficar mais espessa e granulada, pois isso estimula a mastigação.

Aos 12 meses

Nessa idade, o bebê já pode começar a comer alimentos mais sólidos, sem amassar, mas é essencial que estejam moles, para que ele possa mastigar facilmente.

Os alimentos que podem fazer mal ao bebê

Logo no começo da introdução alimentar, não é indicado que o bebê consuma alimentos que costumam causar alergias, como ovos, amendoim, nozes e frutos do mar.

A gema do ovo poderá ser consumida já aos 9 meses, mas deve estar sempre bem cozida.

Depois de um ano, o bebê já pode comer praticamente de tudo, porém, deve-se ter o cuidado de manter a boa higiene e o cozimento completo dos alimentos oferecidos à criança.

Bebês desmamados devem fazer 5 refeições de papinha, sendo 3 doces (desjejum e lanches da manhã e da tarde) e 2 salgadas (almoço e jantar).

É muito importante dar total atenção para a nutrição do bebê, pois ele precisa receber vitaminas.

Mas cuide para fazer isso do jeito certo, para evitar que o organismo do pequeno sofra reações negativas em razão de erros no cardápio.

E se quiser continuar aprendendo sobre cuidados com bebês, assine nossa newsletter e receba mais conteúdos como este!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *